Análise de desempenho no futebol: o que eu preciso saber?
Futebol

Análise de desempenho no futebol: o que eu preciso saber?

Escrito por Unisport Brasil

Você sabe o que é e como funciona a análise de desempenho no futebol? A tecnologia, que está cada vez mais presente na vida das pessoas, invadiu o mundo dos esportes e chegou para ficar. Analisar os dados de uma partida tem como finalidade principal melhorar a performance dos atletas, criar um esquema tático eficiente para a equipe e servir de ajuda para que o treinador possa tomar boas decisões.

As pranchetas e planilhas feitas à mão, com alguns dados dos jogos, estão dando lugar a programas complexos que em poucos segundos oferecem milhões de informações, as quais uma pessoa levaria muitos dias para calcular. Essa tecnologia benéfica tem chamado cada vez mais a atenção dos profissionais da área esportiva, que têm interesse em aprender como ocorre a análise de desempenho no futebol.

Apesar do desejo de aprender, muitos não sabem ao certo como funciona, quais os softwares que analisam os atletas e onde se pode buscar capacitação. Para ajudar, criamos este post cheio de dicas a respeito da análise de desempenho no futebol. Acompanhe!

1. Entenda como é a análise de desempenho no futebol

Para que uma partida de futebol seja analisada, ela é dividida em quatro etapas, iniciando por defesa, depois passando pelo ataque e pelas movimentações ofensivas e defensivas que ocorrem no jogo. Durante essas etapas, são avaliados os fundamentos do futebol praticados por cada atleta e por toda a equipe em conjunto.

O adversário também é estudado e, nesse caso, o analista procura descobrir qual é o modelo de jogo e o comportamento padrão e desviante de cada um, para que o treinador possa previamente montar uma estratégia adequada.

As observações são realizadas de duas maneiras distintas, que visam qualificar e quantificar as ações de cada equipe. Por meio delas, é possível encontrar os aspectos que contribuem ou não para o rendimento, além de perceber como se dá a evolução de cada uma.

Análise qualitativa

A análise qualitativa é um tipo de verificação exploratória, ou seja, uma pesquisa em que não se tem apenas uma resposta para o questionamento. Ela procura encontrar aspectos subjetivos em uma averiguação.

Durante a análise de uma partida de futebol, por exemplo, a parte qualitativa é realizada por meio de imagens e vídeos gravados, que podem ser acoplados a softwares de auxílio.

Ao estudar esses vídeos, o analista consegue observar a dinâmica de cada equipe e como elas se comportam durante todo o jogo. É possível controlar e avaliar cada jogador em qualquer aspecto que se deseje.

Outra função importante da análise qualitativa é em relação ao comportamento das equipes. O estudo dos times contra os quais se vai jogar é realizado previamente, e a partir dele a estratégia é montada para o jogo em questão.

Já na análise qualitativa da própria equipe, consegue-se obter toda a dinâmica do jogo: como o time se comportou em campo, quais foram os locais em que esteve mais presente e a parte do campo que menos habitou, onde ocorreram a maioria dos desarmes ou dos chutes a gol.

Análise quantitativa

A análise quantitativa faz a enumeração dos acontecimentos do jogo, ou seja, transforma todas as jogadas e ações que aconteceram em uma partida em dados que, em conjunto, formam as estatísticas.

As estatísticas da partida, quantificadas, são chamadas de scout técnico. Com ele, é possível estudar cada jogador em sua individualidade ou a equipe em conjunto. Cada analista define quais são os dados considerados importantes, para que possa quantificá-los durante e após uma partida.

As oportunidades são muito extensas, sendo possível dissecar um jogo inteiro, detalhe por detalhe, e buscar diferentes informações para o aperfeiçoamento. Apesar da importância desses métodos, no Brasil, uma boa parte das equipes ainda utiliza de forma amadora a análise de dados, sendo esse, então, um mercado ainda aberto e com grandes chances de crescimento.

2. Saiba como a tecnologia analisa as partidas

A análise da partida é realizada por meio de um software que capta imagens e vídeos, como já vimos anteriormente. Contudo, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, não há um deslocamento das câmeras a cada movimento da bola ou do jogador.

Elas ficam posicionadas estaticamente e filmam determinada região do campo, que é estudado em por regiões. Uma das formas mais utilizadas é dividir o campo em pequenos quadrados, correspondentes às diversas posições dos jogadores.

As imagens captadas são calculadas por algoritmos e geram dados complexos quase que em tempo real. Veja alguns exemplos:

  • número de passes acertados e errados;

  • quantidade de finalizações;

  • direção e distância de cada finalização;

  • distância dos passes, quantificando os acertados e os errados;

  • local do campo em que a equipe mais esteve presente durante a partida;

  • local do campo onde ocorreu o maior número de desarmes pró e contra;

  • distância percorrida por cada atleta;

  • velocidade e aceleração de cada jogador;

  • tempo de posse de bola.

Mas, afinal, como os softwares funcionam na análise da partida?

A primeira programação realizada é para que a bola seja reconhecida, tanto parada como em movimento. Depois disso, é a hora de marcar os jogadores, que recebem uma programação diferenciada para cada perna.

As microcâmeras são os equipamentos responsáveis por captar todas as imagens que posteriormente serão transformadas em dados e informações para criar a melhor tática para a equipe.

O computador deve ser configurado previamente, antes de a bola rolar. Nessa programação, são solicitados todos os dados que se deseja que o software capte. Após o início da partida e o play no programa, é só esperar para ter todas as informações requeridas.

A partir daí, é possível criar inúmeros gráficos e planilhas, com a evolução de cada atleta em todos os fundamentos. Assim, se consegue também medir o desempenho individual ou do conjunto. É possível obter qualquer dado, até mesmo qual jogador mais errou passes no primeiro ou no segundo tempo ou em determinado setor do campo.

Quantificar esses dados, elaborar estudos e laudos sobre as equipes envolvidas e enviar para o restante da comissão técnica é o papel do analista. Apesar de parecer fácil, é preciso ter um prévio entendimento de futebol e uma boa leitura de jogo. Aqueles profissionais que desejem se inserir no mercado devem buscar uma qualificação, para que possam desempenhar essa função de maneira eficiente.

3. Conheça os analistas do Brasil

A profissão de analista de desempenho, que ajuda a completar a comissão técnica de uma equipe de futebol, vem sendo cada vez mais conhecida no Brasil. Apesar disso, muitas pessoas ainda acreditam que o analista seja apenas alguém que edita os vídeos, sem nenhuma capacitação para opinar e transmitir os dados para os responsáveis pelo futebol.

Muitos treinadores e comissões já montadas têm certo preconceito e receio de contar com esse profissional. Eles acreditam que futebol se resolve no campo e desconsideram a tecnologia e os trabalhos que ajudam no desempenho dos atletas, para que os objetivos possam ser alcançados.

No entanto, diversos profissionais muito bem capacitados vêm quebrando essa barreira e se tornando pessoas de sucesso em suas áreas. Para incentivar a busca pelo conhecimento e capacitação nessa área tão importante do esporte, separamos o perfil de alguns analistas esportivos do Brasil para que você possa conhecer. Acompanhe!

Gustavo Nicoline

Formado em Administração de Empresas, atua como Analista de Desempenho desde 2004. Trabalhou em agremiações consagradas do futebol profissional como Cruzeiro, Vasco e Figueirense. Atualmente é membro do CIP – Centro de Inteligência do Palmeiras. Foi Coordenador dos 3 Cursos de Análise de Desempenho no Futebol (parceria com a UniSport). Foi Campeão Brasileiro em 2016 pelo Palmeiras.  

Rafael Vieira

Formado em Educação Física e com especialização em fisiologia do exercício, a vida profissional de Rafael Vieira relacionada ao futebol começou no Grêmio, onde trabalhava com as escolinhas e categorias de base primeiramente, até chegar à equipe profissional.

Foi no time gaúcho que ele conheceu Mano Menezes, com quem trabalhou posteriormente no Corinthians e que o convocou para compor a comissão técnica da Seleção Brasileira.

Rafael é um analista de importante capacidade. Quando estava no Grêmio, ainda em início de carreira, participou da criação da central de dados digitais, que avaliava as equipes adversárias e criava um banco de dados dos atletas.

Já na Seleção Brasileira, o trabalho era desenvolvido de acordo com as necessidades da equipe. Nesse caso, o analista monta e organiza os controles dos treinamentos que o técnico usará como base para comandar os atletas.

Maurício Dulac

Maurício Dulac, de 37 anos, é educador físico e analista de desempenho no futebol. O estudioso passou primeiramente por Internacional e Corinthians. Ao lado de Tite no time paulista, Maurício ajudou o treinador a formar o esquema tático 4-1-4-1.

Após ser indicado por Dunga, entrou no time de analistas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Na Seleção Brasileira, ele coordenou a equipe de análise de desempenho tanto do profissional, como da base. Além disso, ele criou o Centro de Pesquisa e Análise (CPA), que faz o monitoramento de atletas.

Até o ano passado, Maurício fazia parte da comissão técnica de Tite, contudo, em 2017, aceitou o convite para voltar ao Internacional e, assim, poder ficar próximo a sua família.

Gabriel de Oliveira

Filho do treinador Oswaldo de Oliveira, Gabriel de Oliveira, formado em Educação Física, é mais um analista de desempenho de sucesso no Brasil. Ele trabalhou ao lado do pai no Santos e atualmente compõe a equipe de análise de desempenho do Palmeiras.

O time de analistas alviverde tem como missão observar os jogadores e esquemas táticos dos clubes pertencentes à séries A e B do Campeonato Brasileiro.

Gabriel trabalha ao lado dos analistas Gustavo Nicoline e Rafael Costa. Os três, pelas análises do ano anterior, indicaram jogadores ao Palmeiras que foram contratados pela equipe para o ano de 2017.

4. Veja a diferença entre a análise de dados na Europa e no Brasil

A análise de desempenho esportivo, especialmente no futebol, data dos anos 90 na Europa e já é uma prática muito difundida por lá. A grande maioria dos clubes do Velho Continente utiliza a análise para aprimoramento próprio e para o estudo do adversário.

Na Europa, os clubes contam com grandes departamentos, especializados nessa função e equipados com diversas ferramentas que os ajudam na tomada de decisões e organização de esquemas táticos.

Uma das principais funções atribuídas à equipe de análise de desempenho é repassar ao treinador e a toda a comissão técnica os dados necessários para que o trabalho possa ser bem realizado.

Uma das grandes diferenças está na importância que a Europa e o Brasil atribuem a essa prática. Os clubes pertencentes ao Velho Continente contam com equipes de, em média, 20 profissionais para realizar a análise de desempenho e consideram que ela é indispensável para o sucesso do time.

Já no Brasil, os clubes que têm esse serviço muitas vezes contam apenas com uma ou duas pessoas para desempenhar essa função. Na grande maioria das vezes, esses profissionais ficam sobrecarregados e não conseguem realizar com tanta qualidade o seu trabalho.

Mas por que será que a análise de desempenho, tão eficiente na Europa, ainda não é tão evoluída no Brasil?

Estamos vendo, aos poucos, o país do futebol, onde os jogadores já nascem com a bola nos pés, ficar para trás de algumas outras nações que não têm tanta tradição no esporte. Um dos motivos pode ser a falta de profissionalização.

Enquanto o Brasil não atribui muita importância ao desenvolvimento tático e à tecnologia que vem sendo criada para isso, países de outros continentes estão voando a nossa frente. Um dos motivos para que isso esteja ocorrendo pode ser o alto nível de investimento necessário para colocar em prática a análise de desempenho.

Além disso, é preciso montar a equipe completa, e não apenas contratar alguns poucos profissionais e sobrecarregá-los. Há também o problema da constante troca de treinadores e comissão técnica no futebol brasileiro.

Cada equipe formada por esses profissionais acima citados trabalha de uma maneira e tem dados e pontos que as interessam, por isso os estudos precisam ser constantemente interrompidos no meio, o que dificulta a sua disseminação entre os clubes.

5. Descubra a importância de um curso de análise de dados

O mercado de análise de desempenho no futebol tem perspectivas crescentes para os próximos anos. Já consolidado na Europa, a expectativa é que cada vez mais os clubes brasileiros comecem a adotar essa prática, a fim de ter um maior conhecimento sobre si mesmos e sobre os adversários.

Inclusive equipes menores, que participam de divisões de acesso, já entendem como é importante contar com essa prática. Por isso, aqueles times que não trabalharem com a análise de desempenho já vão sair atrás dos outros.

Com essa perspectiva de haver um maior interesse por parte dos clubes, a tendência é que os profissionais que estiverem mais capacitados acabem recebendo oportunidades e vagas para atuar no mercado.

A informação só é útil se for bem utilizada, por isso, aprender como colocar em prática diferentes conceitos é fundamental. Uma boa maneira para obter conhecimento sobre a análise de desempenho no futebol é realizando uma especialização sobre o assunto.

Durante todo o curso, são oferecidos materiais teóricos que, depois de aprendidos, são vistos na prática, e essa é uma das maiores vantagens de optar por capacitação, no lugar de somente buscar informações desencontradas na internet ou em qualquer outro meio.

Existem diversas opções disponíveis para a formação adequada de um analista no Brasil. Uma das mais buscadas no mercado é o curso de análise de desempenho no futebol da UniSport Brasil, que divide os ensinamentos em parte teórica, realizada em um espaço sala de aula, e parte prática, que ocorre sempre durante uma partida de futebol oficial.

6. Entenda por que a análise de desempenho no futebol é importante para uma equipe

Nem sempre o time que vence é o melhor, muitas vezes a vitória é daquele que está mais bem preparado. No futebol atual, essa preparação envolve diversos setores, que se interligam. A integração desses setores é total, e todo o trabalho da equipe deve girar em torno de uma tática e técnica, que pode vir desde as categorias de base até o time profissional.

Para colocar em prática todas essas técnicas e conseguir se superar no enfrentamento com um time que teoricamente é melhor, é necessário muito entrosamento, e a análise de desempenho no futebol tem papel importante nesse caso.

É por ela que as informações chegam à comissão técnica. Há três principais setores em que o analista interfere como um todo em uma equipe de futebol: na hora da contratação, no estudo do adversário e na análise da sua própria equipe.

Contratação

No momento da contratação de um novo atleta, o analista de desempenho é uma peça-chave para que a transação seja bem-sucedida e para que não se contrate um atleta indesejado, que provavelmente não atenderá às expectativas do clube.

Todas as informações do jogador podem ser relacionadas em gráficos e planilhas em poucos minutos. É possível saber em quantos jogos o atleta atuou, quantos gols ele marcou, qual foi a quantidade de desarmes e de passes certos e errados.

Além disso, o analista, pelo cruzamento de dados, consegue saber qual o nível de condicionamento físico do jogador. Em caso de lesão, é possível saber também o tempo médio de recuperação e a frequência com que o atleta costuma ter problemas.

Ao realizar uma contratação, o time contratante espera adequar o atleta ao esquema, e por isso é tão importante essa análise prévia do desempenho, para que se possa concluir se aquele possivelmente será ou não um bom investimento.

Estudo do adversário

Toda boa equipe deve conhecer a fundo o seu adversário. Cada time que participa de um campeonato tem uma maneira de jogar, e conhecê-lo não quer dizer que a equipe deva se adaptar totalmente ao adversário.

Estudar o oponente é importante, pois, por meio das informações, é possível definir uma estratégia para combater os pontos fortes e também uma maneira de explorar os pontos fracos. Há equipes que não mudam nunca os seus esquemas, porém existem também aquelas que adaptam a sua maneira de jogar a partir do sistema do adversário.

Quem observa o oponente tem uma probabilidade muito maior de sair vitorioso ao final do jogo. Por isso, a análise de dados torna-se tão importante nesse caso. Além disso, é possível adaptar diversas jogadas e esquemas para que o jogo fique mais favorável.  

Estudo da equipe

Depois de realizar as contratações desejadas, formar um bom elenco e estudar o adversário, é dever de cada comissão de futebol conhecer a fundo o seu próprio grupo de atletas.

Possivelmente, a individualidade é mais conhecida pela comissão técnica, no entanto, há uma maior dificuldade de qualificar e quantificar dados do comportamento de cada atleta em conjunto com outros.

O técnico, acompanhando o cotidiano da equipe, consegue ter uma ideia, porém, pelo uso de um software de análise de desempenho, é possível dispor os dados em planilhas e ter certeza quanto ao comportamento da equipe.

O jogador X rende muito menos quando joga no esquema Y acompanhando do jogador Z. Essa tese pode parecer simples ao ler, mas não é tão fácil de ser montada no dia a dia do futebol. Contar com uma equipe de análise de desempenho, então, é importantíssimo para a evolução do grupo e para que o melhor esquema possa ser montado e utilizado.

A tecnologia é um bem que veio para ficar e qualificar muitas esferas da vida. Todas as organizações e segmentos da sociedade podem tirar algum proveito positivo dela, e os esportes não ficariam de fora. Disseminada no mundo inteiro, é notório que a tecnologia no futebol é um saber que agrega valor e benefício, qualifica e permite um melhor desempenho de quem faz uso dela.

Por esse motivo, em breve, todos os clubes, de alguma maneira, vão aderir a ela. Até o ano de 2014, poucos times no Brasil faziam uso e se beneficiavam da análise de desempenho no futebol. Na Copa do Mundo desse mesmo ano, no entanto, a Seleção Alemã investiu muito nesse aspecto, colheu os frutos e despertou sucesso e interesse dos times de futebol pelo mundo inteiro.

Apesar dessa luz e desse despertar, o Brasil ainda está longe de profissionalizar essa área do futebol, em comparação a outros países desenvolvidos. É consenso que o investimento na área da análise de desempenho vem aumentando, diversos times estão comprando softwares, contudo, o espaço e o tamanho da equipe ainda são menores do que poderia ser.

Entretanto, mais cedo ou mais tarde, o Brasil vai enxergar a importância e os benefícios da análise de desempenho e, como já vimos, todos os profissionais que forem especializados e estiverem por dentro do assunto sairão à frente.

Se você se interessou, curtiu o nosso post sobre análise de desempenho no futebol e gostaria de mais informações sobre o assunto e sobre especializações, entre em contato conosco pelo nosso Facebook ou e-mail!

 

Sobre o autor

Unisport Brasil

4 comentários

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This