Avaliação funcional do movimento: por que fazer? Saiba agora!
Aprendizado

Avaliação funcional do movimento: por que fazer? Saiba agora!

Escrito por Unisport Brasil

Todas as vezes em que você vai começar uma atividade física é importante tomar uma série de cuidados para que você obtenha apenas os benefícios dela, como fazer uma avaliação física para saber se o seu corpo está em condições de realizar aquela ação. Mas existe algo mais poderoso, que pode potencializar ainda mais seus exercícios: a avaliação funcional do movimento.

Trata-se de uma avaliação em que o profissional vai montar um perfil muscular levando em conta possíveis posturas erradas, disfunções musculares ou erros de movimentação, que podem causar lesões e outros transtornos.

Neste artigo, vamos explicar todas as possibilidades da FMS (em inglês), como ela pode beneficiar seus exercícios físicos e como realizá-la. Se você quer saber mais sobre a técnica e como potencializar o treino dos seus alunos, continue lendo para conferir as informações!

Entenda o que é a avaliação funcional do movimento

A Avaliação Funcional do Movimento Humano (ou FMS, do inglês Functional Movement Screen) é uma anamnese que identifica posturas erradas, disfunções e detecta vícios ou erros de movimentação durante um exercício. São maus hábitos ou comportamentos que podem lesionar músculos, ligamentos, articulações, entre outros.

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Desenvolvida em 1997 por Gray Cook e Lee Burton, ela se pauta pela lógica de que o corpo inteiro deve funcionar corretamente para maximizar o desempenho do indivíduo. É como se o corpo fosse visto como uma corrente com elementos individuais, mas cujo elo mais fraco pode enfraquecê-la como um todo.

Com essa avaliação, é possível conhecer exatamente as necessidades e dificuldades de uma pessoa na hora de realizar um movimento e, assim, ter uma base real e completa de como ela se comporta em ação e ter base para prescrever exercícios físicos. Sejam eles para ganho de massa muscular, modelagem do corpo ou, ainda, de reabilitação.

Ela é usada ainda para planejar o treino de atletas profissionais, já que ajuda a identificar falhas de determinado movimento e que fazem com que esse atleta não corra tão rápido ou não alcance a amplitude necessária. A partir dessa análise, é possível corrigir erros e obter a performance desejada.

Saiba como é feita uma FMS

Uma avaliação funcional do movimento é feita com informações precisas sobre as condições de saúde e histórico clínico do aluno. De posse dessas informações, o avaliador aplica o teste de movimentos para avaliar a estabilidade do corpo, a mobilidade e a postura.

O objetivo desse tipo de avaliação é justamente encontrar o ponto fraco do avaliado para, desse jeito, prescrever a melhor conduta de treino e evitar problemas futuros.

Depois da montagem do histórico do paciente, é aplicado um teste, onde ele é submetido a uma série de sete exercícios de movimentos padrões. São eles:

  1. agachamento profundo;
  2. passo sobre a barreira;
  3. avanço em linha ou afundo;
  4. elevação da perna estendida;
  5. mobilidade dos ombros;
  6. flexão dos braços com estabilidade do tronco
  7. estabilidade rotacional.

Em cada um desses movimentos diversos outros detalhes são observados para que se possa ter uma real noção da capacidade do aluno em realizá-los. São eles:

  • estabilidade da lombar, core, pelve, joelhos e arco plantar;
  • mobilidade glenoumeral, torácica, quadril e do tornozelo;
  • dissociação de quadril;
  • flexibilidade muscular e dinâmica;
  • equilíbrio;
  • ativação muscular;
  • concentração e postura;
  • amplitude do movimento.

Para cada etapa, e segundo os critérios acima, é montado um ranking com notas de 0 a 3, que são dadas de acordo com a facilidade ou dificuldade do observado em reproduzir o movimento. A partir desse ranking é montado o perfil de exercícios do aluno para que ele possa obter o máximo de rendimento na sua proposta e tenha diminuído o risco de lesões.

Após um período do teste, é recomendado ainda que o analisado passe por nova avaliação para identificar possíveis melhoras na condição física e/ou fazer novos ajustes em seu perfil de exercícios.

Veja os objetivos da FMS e as diferenças da avaliação física

Inicialmente, pode haver alguma confusão quando pensamos na clássica avaliação física, que é feita toda vez que um aluno se matricula em uma academia, por exemplo, e a avaliação funcional. Mas são duas propostas diferentes.

Na avaliação física, o profissional de educação física vai fazer medições antropométricas (altura, peso e IMC), analisar o corpo quanto à postura, diferença entre membros, curvaturas da coluna, tipo de pisada, cirurgias, cicatrizes, grau de flexibilidade e bioimpedância — que é como seu corpo se distribui em massa muscular, massa magra, gorda, com órgãos, ossos e água. De posse desses dados, ela vai estabelecer uma rotina de exercícios para o aluno.

A avaliação funcional do movimento também colhe esse tipo de informação, mas está mais interessada em saber como o seu corpo é capaz ou não de realizar determinado movimento. É uma análise mais apurada para como o corpo reage a certos movimentos e solicitações. Essa análise é feita com testes específicos e, a partir dela, é também traçado um perfil de exercícios adequados para aquele indivíduo.

Mas, como esses exercícios são recomendados e baseados em uma análise mais aprofundada, os ganhos físicos são potencializados, os pontos fracos são minimizados e o alcance dos objetivos é feito mais rapidamente sem riscos de lesões. Veja os principais objetivos da FMS:

  • identifica riscos de lesões;
  • analisa limitações de movimento, desequilíbrios musculares e assimetrias;
  • estabelece uma base do movimento funcional para exercícios;
  • traça estratégias corretivas e opta por movimentos adequados à individualidade;
  • acompanha progressos e resultados.

Como vimos, a avaliação funcional do movimento é uma espécie de evolução da avaliação física, muito mais completa, capaz de conhecer a fundo o movimento de um indivíduo e suas potencialidades e fraquezas. Para isso, a FMS deve ser feita por profissional capacitado e experiente, que saberá analisar o perfil funcional dos seus alunos e montar uma estratégia de exercícios adequada.

A FMS pode ser feita por todo tipo de pessoa, seja ela ativa ou inativa, mas que queira aumentar suas atividades físicas sem apresentar dores ou lesões. Se você ficou interessado em conhecer mais da técnica e sabe da importância de se manter atualizado para desenvolver atividades de educação física, que tal entrar em contato com a UniSport Brasil? Com certeza poderemos ajudar você.

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This