Coaching esportivo: quando surgiu e por que é importante?
Coaching Esportivo

Coaching esportivo: quando surgiu e por que é importante?

Escrito por Unisport Brasil

Mais do que nunca, esportistas de todo o mundo e de todas as modalidades são exigidos ao máximo. É preciso buscar novos títulos, quebrar recordes e superar marcas inimagináveis — isso sem falar na pressão da imprensa e dos torcedores. E como os atletas conseguem enfrentar tais desafios? É aí que entra o coaching esportivo.

Você sabe do que se trata? Neste artigo, vamos conhecer a origem da profissão e qual a sua importância para o mundo dos esportes. Confira!

Origens do termo

O conceito de coaching está muito em alta nos dias de hoje, mas você sabia que sua origem é bem antiga? O termo vem da língua inglesa, mas deriva de kocsi, do vocabulário húngaro, que significa “coche” — aquelas carruagens utilizadas na Idade Média.

Em suas reapropriações, a palavra coach também passou a designar os condutores dessas carruagens. Esse tipo de transporte era voltado para as famílias mais abastadas dos séculos XV e XVI, que viajavam com o amparo de alguns de seus servos.

Geralmente, além do condutor, um servo ficava encarregado de ler histórias para as crianças e abordar assuntos importantes para o aprendizado delas — como as viagens poderiam ser muito longas, as horas gastas eram mais bem aproveitadas assim. Esse servo também passou a ser conhecido como coach e cumpria um papel importante na educação do período, já que dominava diferentes áreas do conhecimento.

Novos significados

Na Inglaterra do século XIX, tornou-se comum, entre os estudantes universitários, tratar os professores que os ajudavam nos exames finais por coach. O termo foi ganhando mais popularidade com os anos, espalhando-se pelo mundo e sendo adotado em diversos âmbitos, especialmente no universo esportivo — os treinadores passaram a ser tratados por coaches também.

Em certa medida, conservava-se a ideia surgida na Idade Média: alguém que era capaz de conduzir pessoas de um ponto ao outro — não geograficamente, como os “coaches condutores”, mas no sentido de oferecer crescimento pessoal e profissional, tal qual os servos que ensinavam as crianças.

Esse conceito ganhou também o mundo corporativo, especialmente após se tornar comum nas grandes organizações dos Estados Unidos e do Canadá. Nessas empresas, alguns profissionais passaram a ser contratados para auxiliar na qualificação da equipe e na motivação dos empregados, num mercado cada vez mais competitivo e exigente. Surgia, então, o conceito de coaching que conhecemos na atualidade!

No mundo dos esportes

Como dissemos, o fortalecimento do conceito de coaching esportivo se deu antes mesmo de sua disseminação pelo mundo corporativo. Um dos marcos iniciais desse movimento foi a publicação de “O jogo interior do tênis” (1974), de Timothy Gallwey, nos anos 1970.

Na obra, que mistura correntes da psicologia, pensamentos budistas e o know-how do esporte, Gallwey explora a importância de se trabalhar a motivação e o autoconhecimento do atleta, já que limitações e inseguranças podem ser seus principais rivais em uma competição. Nas décadas seguintes, o coaching foi se disseminando por meio de cursos, palestras e, claro, pelo emprego de profissionais capazes de ajudar o atleta a atingir seus objetivos.  

O conceito de coaching esportivo

O coaching tem vários segmentos diferentes, podendo ser mais voltado ao âmbito pessoal ou ao profissional. De maneira geral, o que une todas as áreas é a busca pelo desenvolvimento do ser humano em diferentes campos da vida.

Assim, sua importância está na possibilidade de ajudar o cliente a encontrar motivações para os desafios da vida e a desenvolver as habilidades necessárias para isso. No caso do coaching esportivo, a meta é motivar o atleta a atingir o máximo de sua capacidade, para que ele alcance um melhor desempenho nas competições.

Isso envolve não apenas conhecimento específico sobre o setor esportivo, mas também uma aptidão para mobilizar diversos tipos de saberes e técnicas, a fim de potencializar as diferentes habilidades dos coachees (como são chamados os profissionais atendidos por um coach).

Em inglês, o termo coach significa treinador ou técnico. Mas não devemos confundir a função de cada um. O técnico é o profissional que possui conhecimento empírico de táticas ou técnicas do esporte e utiliza seu know-how para montar equipes e treinar atletas — além, é claro, de também ser um motivador.

Já o coach emprega metodologias e técnicas desenvolvidas a partir do conhecimento científico de diversas áreas. A administração, a filosofia e a psicologia ajudam a preparar esportistas enquanto pessoas e profissionais que lidam com problemas, definem metas e aumentam seu autoconhecimento e sua confiança na busca por vitórias.

A eficácia em manejar os diferentes tipos de saberes e aplicá-los de forma prática e objetiva para alcançar objetivos mostra o quão importante o coaching é. Sua relevância se torna ainda maior por se tratar de uma área (o esporte) que exige bons resultados.

Importância

O coaching esportivo, assim como qualquer outro tipo, é oferecido de forma personalizada para cada cliente. Não existem fórmulas milagrosas e preestabelecidas: a partir de certos princípios e de sua sabedoria, o coach analisará cada caso a fim de oferecer o melhor serviço possível, conforme a situação.

No mundo dos esportes, é comum que esse profissional seja contratado quando a equipe ou o atleta não estão em uma situação muito boa: o time está perto de ser rebaixado, o esportista não consegue atingir as marcas esperadas, o desânimo tomou conta, o foco se perdeu…

Essas são situações bem corriqueiras no mundo das competições. O coach entra em cena para auxiliar na retomada do foco e da motivação. Como alguém “de fora”, ele é capaz de enxergar o todo mais facilmente, analisando melhor o quadro geral.

Entretanto, o profissional também está presente quando tudo vai bem. Isso porque há sempre uma pressão por manter resultados positivos partindo tanto do atleta quanto da imprensa e dos torcedores. Para saber lidar com isso, muitos recorrem à assessoria de coach, que auxilia na construção de uma carreira sólida a longo prazo (e não só no momento).

Portanto, a grande importância do coach esportivo está em oferecer um conhecimento que foge do escopo de atletas e esportistas. Dessa forma, seus clientes se tornam mais bem preparados para inúmeros desafios.

Quando torcemos — seja no futebol, no vôlei, no tênis ou na natação —, nos esquecemos de como aqueles brilhantes atletas não são máquinas, mas seres humanos que também sofrem com dúvidas, inseguranças, medos e diversas deficiências. Como eles lidam com isso? Cada vez mais, com o amparo dos coaches.

Viu só como o coaching esportivo é importante? Para saber mais sobre o assunto, baixe o nosso e-book! Até a próxima!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This