Como a ergonomia pode ser uma aliada no esporte?
Aprendizado

Como a ergonomia pode ser uma aliada no esporte?

Escrito por Unisport Brasil

A ergonomia, em poucas palavras, é a ciência que estuda o ambiente em que o homem desenvolve o seu trabalho, analisando os objetos, máquinas e instrumentos de que ele necessita. Nos últimos tempos, esse conceito passou a ser utilizado em diversas áreas, e, neste post, comentaremos sobre a ergonomia no esporte.

Ela vem se fortalecendo. Com o aumento de estudos e pesquisas e o avanço da tecnologia, tornou-se possível aplicar esse conceito ao esporte com os objetivos de evitar lesões e melhorar o rendimento dos atletas.

Ficou interessado em saber mais sobre a ergonomia, quais os seus benefícios e como ela pode se relacionar com o esporte? Então continue lendo e descubra agora mesmo!

Qual é o conceito de ergonomia?

A ergonomia é a técnica responsável por certificar que o ambiente de trabalho está adaptado às necessidades e características do ser humano. Uma cadeira, por exemplo, deve oferecer altura satisfatória para que a pessoa consiga sentar-se nela com as pernas em um ângulo de 90°. Já a iluminação precisa estar de acordo com o que é definido em legislação, para que seja o suficiente para não prejudicar a visão.

Além de preservar a saúde das pessoas, a ergonomia aplicada nos ambientes de trabalho proporciona melhores resultados para as empresas. Isso ocorre porque, quando um ambiente de trabalho adequado é oferecido ao funcionário, há uma diminuição do cansaço e de afastamentos por lesão, contribuindo para um maior rendimento e desempenho.

Como a ergonomia no esporte funciona?

Agora que você descobriu o conceito que estamos trabalhando, deve estar se perguntando o que deve ser feito para aplicá-lo no esporte, não é mesmo? Para ajudar a sanar essa dúvida, a seguir, vamos mostrar como funciona a ergonomia no esporte e quais as suas principais funções.

Adequação dos materiais

A primeira forma de aplicação do conceito de ergonomia ao esporte é na adaptação dos materiais utilizados durante os treinamentos e jogos. Um tenista, por exemplo, não deve ter uma raquete que prejudique os seus cotovelos e punhos, assim como um jogador de vôlei precisa ter um bom par de tênis para absorver os impactos gerados devido ao grande número de saltos e agachamentos e assim por diante.

Cada esporte necessita de um tipo de material específico, que deve ser adaptado e utilizado pelo atleta de maneira individual, pois, mesmo que jogue um mesmo esporte, nas mesmas condições, cada ser humano é único e tem características diferenciadas.

Além disso, os aparelhos utilizados em salas de treinamento de força e musculação também precisam ter a regulagem, o tamanho e o comprimento necessário para cada aluno. Realizar exercícios em máquinas que não tenham a angulação correta pode ser muito prejudicial à saúde.

Prevenção de lesões

A adequação do material para que o ambiente esportivo torne-se ergonômico contribui para que haja um menor índice de lesões entre os atletas. Sendo assim, podemos afirmar que a ergonomia no esporte funciona evitando que lesões aconteçam.

Além da adaptação dos materiais, as lesões também são prevenidas com o aprimoramento do movimento e da postura. Por meio da ergonomia no esporte, os atletas de corrida conseguem desenvolver uma postura ergonômica para correr, assim como os de basquete podem treinar a melhor forma de arremessar, os de vôlei, o melhor jeito de amortecer um salto etc.

Como alcançar melhores resultados com a ergonomia?

Como vimos, utilizando a ergonomia no esporte, o profissional de educação física pode escolher e regular os melhores materiais para cada aluno, além de diminuir as suas lesões. Mas não é só isso. Para conseguir resultados mais positivos com essa ciência, o treinador deve planejar exercícios e, principalmente, detectar os problemas.

Planejamento de exercícios

O planejamento de exercícios de forma ergonômica não é uma função fácil de ser desempenhada. O treinador precisa ter um bom conhecimento técnico, principalmente relacionado à biomecânica do movimento.

Os exercícios devem ser pensados de forma que o movimento ergonômico possa ser convertido e utilizado na vida real, pois, assim, o aluno ou atleta tem chances maiores de adaptar o corpo àquele movimento.

Imagine um ser humano que agache de maneira incorreta para pegar objetos durante a vida inteira ou que sente com uma má postura e carregue peso compensando algum lado do corpo.

Com certeza, ele terá problemas, não é mesmo? Para evitar isso, na hora de planejar o treinamento, o educador físico deve apostar em exercícios ergonômicos que possam evitar esses problemas. Essa visão aguçada sobre o corpo pode ajudar também a adequar o peso, volume e a intensidade do treinamento.

Detecção de problemas

Além do planejamento de exercícios, utilizar a ergonomia durante o treinamento esportivo permite que o educador físico consiga detectar problemas que podem prejudicar os seus atletas ou alunos.

Para facilitar esse trabalho, o treinador pode criar uma planilha de movimentos, posturas e deslocamentos que considera adequados. Depois de protocolada, é só prestar atenção aos atletas durante o treinamento e o desenvolvimento do exercício para conseguir detectar algum problema.

Além disso, é possível utilizar os protocolos ergonômicos em testes periódicos para verificar esses fatores. Depois de detectados, o profissional de educação física deve intervir corrigindo os aspectos que podem ser considerados ergonomicamente incorretos e criando uma nova rotina com ênfase nos exercícios que melhor resolvam o problema.

A ergonomia pode ser uma excelente aliada do profissional de educação física, já que, por meio dela, é possível identificar tudo de negativo que pode acontecer e, consequentemente, prejudicar o rendimento do atleta ou provocar algum tipo de lesão.

Resumindo, a ergonomia no esporte é utilizada para melhorar a saúde dos alunos e atletas, oferecer a eles uma melhor qualidade de vida, mesmo fora do ambiente esportivo, e permitir que os objetivos e metas sejam alcançados de uma maneira segura.

Agora que você já sabe possui conceitos básicos sobre ergonomia no esporte, o que acha de aprender um pouco mais sobre psicologia esportiva e oferecer um treino completo para os seus alunos e atletas? Gostou da ideia? Então aproveite para ler este post sobre psicologia esportiva e reconheça variáveis que interferem no rendimento dos atletas e o treinamento da mente.

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This