Como fazer uma análise do time adversário? Saiba aqui!
Futebol

Como fazer uma análise do time adversário? Saiba aqui!

Escrito por Unisport Brasil

A análise do time adversário é uma estratégia indispensável para qualquer equipe que deseja obter sucesso em alguma competição. Por meio dela, é possível mensurar o desempenho do oponente, identificar os pontos fortes e fracos e, a partir desse ponto, traçar táticas para conseguir vencê-lo.

Muitos treinadores estão cientes dessa importância, mas não sabem ao certo como realizar uma boa análise das equipes. Se esse é o seu caso, não se preocupe! Criamos este post para ajudá-lo.

Continue a leitura e descubra as melhores maneiras de fazer uma análise do time adversário!

Identifique o sistema tático do adversário

O primeiro passo para conseguir fazer uma boa análise é identificar qual é o sistema tático que o oponente utiliza. Se o esporte jogado for o futebol, por exemplo, é preciso analisar se a equipe está armada com dois ou três zagueiros, se utiliza centroavante, se dá preferência a um número maior de volantes ou meias. Resumindo, é necessário saber se o oponente utiliza os sistemas 4-4-2, 3-5-3, 4-4-3 etc.

Essa lógica deve ser utilizada em todos os esportes. No caso do handebol, por exemplo, se a equipe adversária utiliza um esquema de defesa fechado como o 6-0, o treinador deve saber qual tática de ataque optar para que sua equipe consiga obter vantagem contra o oponente.

Não existe uma receita de bolo para definir qual tática é melhor de usar conforme o esquema do adversário, pois cada equipe conta com jogadores diferentes, com características e qualidades também distintas.

Por isso, o treinador deve, além de analisar com cuidado o adversário, conhecer muito bem a sua própria equipe. O que é possível afirmar é que, quando se sabe como é a organização tática de um time, é muito mais fácil conseguir identificar seus pontos fortes e fracos.

Observe os princípios do jogo

Os esportes coletivos, apesar de diferentes entre si, costumam apresentar os mesmos princípios: ataque, defesa, recuperação ou manutenção da posse de bola etc. Esses princípios não podem estar de fora de uma boa análise do adversário.

Ataque e defesa

A forma de se comportar diante de cada princípio é variável. Na transição ofensiva, por exemplo, um dos times pode ter o costume de fazer lançamentos à longa distância, enquanto outro pode preferir toques curtos, progredindo até a meta adversária.

O mesmo acontece na defesa. Enquanto uma equipe prefere marcar a saída de bola do adversário, outra opta por esperar que os atacantes cheguem até a zona de defesa.

É normal que os oponentes variem um pouco o comportamento de acordo com a formação do outro time. Por isso, o treinador deve conhecer como o outro time se comporta em cada situação. Por exemplo, qual é o jogador responsável por fazer e receber os lançamentos longos, caso seja essa a jogada escolhida. Ou quem é o melhor marcador quando a equipe defende marcando no ataque.

Bolas paradas

Outro ponto importante é o comportamento em lances de bola parada. O time costuma cobrar um arremesso lateral, por exemplo, longo ou curto? No caso do futebol ou futsal, o escanteio é cobrado aberto ou fechado? Como os atletas costumam cobrar um lance livre? Essas questões devem servir de base para alimentar dados na análise.

Entenda como os jogadores e a equipe trabalham

O jogo é formado por diferentes momentos. Em um determinado período, o adversário pode estar ganhando e, em outro, perdendo. Cada equipe tende a se comportar de maneiras distintas em cada uma dessas situações.

Por isso, entender como os jogadores trabalham e o time reage conforme cada resultado também é um objetivo que deve ser realizado em uma boa análise do adversário.

Uma equipe de basquete que está perdendo, por exemplo, pode começar a arriscar cestas de fora da área para conquistar três pontos em uma única jogada. Portanto, para se preparar e conseguir combater as investidas do adversário o mais rápido possível, o treinador precisa conhecer como o oponente costuma se comportar.

Analise os atletas individualmente

Sabemos que um bom time é formado por um conjunto de jogadores, técnicas e táticas que funcionam coletivamente. Entretanto, cada uma dessas peças — ou seja, cada atleta — tem a sua própria forma de jogar. Esse comportamento individual influencia o conjunto da equipe. Por esse motivo, essa análise deve estar inclusa no conjunto de observações do time.

Essa observação pode ser um pouco trabalhosa e, talvez, necessite de mais de uma ou duas pessoas para conseguir preencher todos os dados. O ideal é assistir aos vídeos dos oponentes para conseguir avaliar e conhecer o comportamento de cada um dos atletas.

Caso não haja tempo disponível para se aprofundar na análise e realizar essa tarefa, o mais indicado é estudar os atletas que mais se destacam e que poderiam influenciar no resultado do jogo.

Conte com a ajuda de um sistema para fazer uma análise do time adversário

Por fim, a última dica para realizar com sucesso uma análise do oponente é contar com a ajuda de um sistema. A tecnologia está cada vez mais desenvolvida, e as equipes que não se atualizarem e não adotarem novos métodos de treinamento e avaliação, com certeza, ficarão para trás.

Existem muitos sistemas que podem auxiliar o treinador e a comissão técnica a obter todas as informações e dados citados acima. Além disso, depois de alimentados no sistema, o programa pode ser capaz de cruzar as informações e desenvolver diferentes relatórios. Por meio deles, é possível fazer análises mais precisas.

Nem sempre a equipe tecnicamente melhor é a vencedora de uma partida ou de um campeonato. Diferentes fatores envolvem uma conquista — e o conhecimento a fundo do adversário, com certeza, é um deles.

Times que procuram estudar e fazem uma completa análise do adversário estarão melhor preparados na hora da partida. Assim, as chances de conseguir bons resultados são maiores.

E então, gostou do post? Agora que você já sabe o que deve ser feito para realizar uma boa análise do time adversário, deixe um comentário no post caso tenha alguma dúvida, ou utilize o espaço para compartilhar suas experiências com a análise do oponente!

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Sobre o autor

Unisport Brasil

2 comentários

    • Olá Fabiano, tudo bem?
      Olha, sempre vai existir o risco de tomar o gol. Mas uma forma de tomar menos gols essa com uma redução das distâncias entre as linhas e os companheiros. Uma vez que a ocupação dos espaços e as linhas de defesa e do meio campo tem um número maior de jogadores, que se podem apoiar em coberturas e apoios, as linhas de marcação são aproximadas, permitindo uma maior pressão na recuperação da posse de bola.
      Espero ter ajudado.
      Abraço

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This