Como funciona um curso de análise de desempenho no futebol? Descubra!
Futebol

Como funciona um curso de análise de desempenho no futebol? Descubra!

Escrito por Unisport Brasil

Número de passes certos, tempo de posse de bola e quantidade de finalizações. Esses são alguns exemplos de dados que podem ser coletados em uma análise de desempenho no futebol. Mas, sozinhos, eles não significam muita coisa.

Para virar informação, um dado precisa estar estruturado e ganhar contexto! Depois de interpretada, essa informação vira conhecimento o que é necessário para que times façam as escolhas certas, depois de ser interpretada.

Com o crescimento do uso da tecnologia no esporte, a análise de desempenho no futebol surge como uma estratégia para avaliar jogadores, a dinâmica do time e até a do adversário. Quem faz esse trabalho é o analista de desempenho, que interpreta essas informações obtidas.

Nos próximos anos, a profissão deve crescer no Brasil, abrindo caminho para profissionais do esporte que buscam um impulso na carreira. Por enquanto, poucos times utilizam as técnicas de análise desses dados com equipes bem estruturadas, mas a tendência é de crescimento.

Neste artigo, você vai descobrir para que serve essa estratégia, quais habilidades um bom analista precisa ter e como funcionam os melhores cursos de análise de desempenho no futebol, que abordam aspectos teóricos e práticos.

O que é a análise de desempenho?

A análise de desempenho tem a finalidade de identificar padrões para gerar informação sobre os objetos em foco. Apesar de a utilização de câmeras e softwares ser recente, na década de 50 já se fazia a coleta de dados sobre partidas na Inglaterra.

Com papel e caneta à mão, Charles Reep chegou a algumas conclusões sobre 568 jogos que analisou entre os anos de 1953 e 1967. Em um artigo publicado em parceria com Bernard Benjamin, ele revelou um padrão interessante: cerca de 80% dos gols foram feitos a partir de jogadas com 3 passes ou menos. Apesar de existirem oposições às suas conclusões, o analista é considerado pioneiro.

A análise de desempenho moderna utiliza câmeras fixas posicionadas no campo e softwares programados para reconhecer jogadores, pernas, perímetros do gramado, e, é claro, a bola. Depois de captados, os dados são avaliados pelos analistas e repassados à equipe técnica.

Esses procedimentos podem ser de caráter quantitativo ou qualitativo. A análise quantitativa faz uma enumeração do que ocorreu no jogo. Já a qualitativa é mais subjetiva e procura entender a dinâmica das situações. Nela, você pode encontrar várias respostas para explicar uma situação.

Como ela pode ajudar os times de futebol?

Com a ajuda da tecnologia, é possível analisar a velocidade e aceleração de cada jogador, o tempo de posse bola, predominância de uma das pernas em algum atleta, local do campo em que a equipe esteve mais ausente. As possibilidades são muitas! Um dos conjuntos de dados mais acessados são sobre os adversários. Afinal, se você conhece com quem está competindo, tem muito mais chances.

Além disso, a interpretação das informações colhidas sobre o próprio time garante autoconhecimento e são utilizadas nas lições com os jogadores. Muitas vezes, eles têm um estilo de jogar que se forma de maneira natural. Com a análise, é possível reconhecer hábitos e “vícios”.

À medida que esses dados se transformam dados em gráficos, o time pode analisar as melhorias e as quedas de desempenhos dos jogadores a partir de alguma mudança tática aplicada. Com o acúmulo de informação, você pode acompanhar trajetórias. Veja alguns dos dados mais analisados:

  • número de passes certos e errados

  • quantidade de finalizações;

  • direção e distância de cada finalização;

  • local em que a equipe mais esteve presente;

  • local onde ocorreu o maior número de desarmes pró e contra;

  • distância percorrida por atleta;

  • velocidade e aceleração de cada jogador;

  • tempo de posse da bola.

No Brasil, apesar de recente, a análise de desempenho já começou a demonstrar resultados. O América Mineiro voltou à Série A depois de aplicar essa estratégia em 2016. Com um centro próprio de avaliação, o time começou a investir em análise de desempenho depois de contratar um profissional português.

A equipe analisa todos os jogos do time e as três últimas partidas do próximo adversário. Como a estratégia é recente, o América encontrou alguma resistência entre os jogadores: algo comum em outras equipes brasileiras. Mas com os benefícios em evidência, o time acredita que a análise deve se consolidar no país.

O Palmeiras é outro time com uma equipe dedicada a avaliar suas partidas. O alviverde tem um centro de inteligência e contratou um software novo em 2018. No clube, uma equipe de 5 profissionais faz uma varredura por todos os jogos da Série B, atrás de talentos. Um deles é o Gustavo Nicoline, que também trabalha como professor em cursos de análise de desempenho, como o oferecido pela Unisport Brasil.

O que um curso de análise de desempenho no futebol aborda?

As principais funções das equipes de análise são a avaliação de atletas em treinos e jogos, compra e venda de jogadores, detecção de talentos e avaliação de adversários. Apesar de ainda ser um segmento pouco popular, já existem cursos de especialização que abordam essas funções por completo.

Um bom curso abrange os princípios de uma boa análise, a utilização de tecnologias e o desenvolvimento de relatórios finais. Além disso, é importante verificar se há tópicos sobre estruturação de departamentos de avaliação, já que a tendência é de que esses setores cresçam nos times.

Se você gosta da área de prospecção de mercado e de atletas, vale conferir se a grade do curso que você escolher também envolve esses pontos. Apesar de o público alvo dessas especializações ser o profissional do esporte, elas são procuradas até por jornalistas.

A carreira é uma boa opção para quem tem vontade de se especializar, ama futebol e está com dificuldade de se diferenciar no mercado.

Quais características um bom analista de desempenho precisa ter?

É importante ressaltar que o analista não é um treinador, nem estatístico e tampouco apenas um observador. Ele precisa conhecer a fundo as táticas e regras do futebol e gostar de números. Em um bom curso, você aprende a operar os softwares específicos e a “ler” os dados de forma correta, para traduzir aos técnicos.

Mas não basta apenas entender tudo de futebol, não é? A qualificação é fundamental para o trabalho adequado de um bom analista. Um candidato à carreira de analista de desempenho precisa:

  • conhecer as técnicas e táticas;

  • gostar de analisar dados;

  • ter boa comunicação;

  • ter boa capacidade de observação.

Desde que a tecnologia começou a alterar paradigmas no esporte, o céu se tornou o limite. Afinal, com a ajuda do desenvolvimento tecnológico, recordes e marcos são batidos a cada ano. Para quem escolheu uma carreira na área, a vantagem é que isso traz novos caminhos profissionais e possibilidades de crescimento.

Neste artigo, você descobriu como a análise de desempenho funciona, como ela pode ajudar os times a alcançar resultados e tudo o que um bom curso precisa ter. Na Unisport Brasil, o curso de análise de desempenho no futebol tem 40 horas e inclui uma atividade prática de análise, feita durante uma partida de futebol. Um dos maiores diferenciais é a presença de profissionais renomados do futebol nacional!

Ficou com vontade de estudar sobre essa estratégia que tem tudo para crescer no Brasil? Entre em contato com a Unisport e conheça mais sobre o nosso curso!

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This