Entenda tudo sobre a importância dos esportes para crianças
Iniciação Esportiva

Entenda tudo sobre a importância dos esportes para crianças

Escrito por Unisport Brasil

A infância é a fase dos aprendizados e o início da criação de hábitos. Nos primeiros anos de vida o ser humano começa a ser introduzido a inúmeras experiências, que ajudam a desenvolvê-lo. Nessa fase, há uma grande importância dos esportes para crianças, já que, por meio deles, elas podem adicionar diversa habilidade no seu repertório motor, socializar com outras crianças da mesma faixa etária e manter-se em movimento. 

Criar o hábito de praticar esportes desde pequeno aumenta as chances de não se tornar um adulto sedentário. Além disso, previne doenças que eram comuns apenas há adultos, mas que já estão aparecendo precocemente em crianças, como diabetes, pressão alta e problemas cardiovasculares. 

As vantagens dos esportes para crianças são muitas e, para que você descubra cada uma delas, preparamos este post recheado de informações sobre o assunto. Então, se você quer saber um pouco mais sobre a relação dos esportes com as crianças é só continuar acompanhando. Vamos nessa?

Esportes no desenvolvimento da criança

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha que todas as crianças que tenham entre 5 e 17 anos se exercitem por pelo menos 60 minutos todos os dias. Esse tempo pode ser espaçado ou dividido entre mais atividades. A seguir vamos comentar um pouco mais sobre os aspectos que fazem o esporte excelente para o desenvolvimento da criança. Continue lendo!

Desenvolvimento físico

Muitas pessoas, ao associar os esportes à infância, acreditam erradamente que o exercício trará prejuízos para o desenvolvimento físico da criança. Entretanto, quando não há exageros e as atividades são devidamente adequadas de acordo com a faixa etária da criança, as consequências são muito positivas.

O primeiro sistema a tirar proveito da prática esportiva é o musculoesquelético. Como o nome já diz, ele é formado por músculos, ossos e articulações que, ao serem utilizados durante o desenvolvimento, crescem fortes, protegendo uns aos outros e prevenindo futuras lesões.

O sistema cardiorrespiratório que agrega órgãos vitais, como o coração e o pulmão, também é contemplado. A capacidade respiratória do indivíduo que se exercita melhora, se comparado ao sedentário, e, juntamente a isso, ocorrem a aceleração do metabolismo e o aprimoramento do condicionamento físico, que ajudam a evitar o aparecimento de problemas de saúde precoces e futuros.

Desenvolvimento intelectual

A importância dos esportes para crianças não está ligada apenas a melhorias físicas. O desenvolvimento intelectual também tira proveitos desse hábito. Durante um jogo, principalmente aqueles em que há interação com o adversário, a criança tem que tomar decisões e resolver problemas o tempo todo: em que lugar da quadra se posicionar, para qual lado se movimentar, para quem passar a bola etc.

Para escolher entre as opções, há um fluxo de informações que está relacionado às ações motoras previamente armazenadas na memória dos pequenos. A criança observa a situação e, de acordo com o repertório salvo e disponível de gestos, ela responde.

Por exemplo, ao receber a bola no futebol ela detecta o objeto vindo em sua direção e, a partir desse momento, toma a decisão de como realizará o domínio, passe ou a condução. Quanto maior for o número de situações novas em que a criança for submetida durante a prática esportiva, mais elevado será o repertório de gestos motores salvos.

Como consequência disso, o raciocínio dos pequenos passa a ser ágil, tornando a capacidade de tomada de decisão mais rápida, bem como contribuindo com o desenvolvimento da criatividade. Além disso, quanto mais vezes eles repetirem os movimentos que já conhecem, mais aperfeiçoados ficarão em cada um deles.

Por fim, alguns aspectos prejudiciais ao desenvolvimento intelectual de uma criança podem ser prevenidos pelo esporte. Entre eles podemos citar a capacidade de concentração, que pode ser melhorada, e contribuir para um rendimento mais elevado nos estudos.

Além disso, a ansiedade e a depressão podem ser reduzidas e combatidas pela prática de atividade física, proporcionando à criança uma melhor qualidade de sono e dias mais leves e felizes. 

Desenvolvimento social

O ser humano vive em sociedade e é dependente dos seus semelhantes. É impossível alguém sobreviver sozinho, sem que haja uma vida compartilhada com outras pessoas. As crianças, quando nascem, são apresentadas a um pequeno círculo social que é composto pelos pais, parentes e amigos mais próximos.

Quanto menor for a vida em sociedade da criança, mais difícil poderá ser para ela se relacionar com outras quando começar a frequentar a escola. Isso pode acontecer em qualquer fase da infância, desde o maternal até nas idades mais avançadas.

Para resolver esse problema que muitas famílias passam, o esporte aparece como uma solução muito eficaz para estimular o desenvolvimento social. Por meio dele é possível realizar a inclusão das crianças em grupos e diminuir as diferenças entre elas, principalmente a disputa existente entre meninos e meninas.

O mais indicado é que aqueles que apresentam dificuldade de relacionamento com os colegas iniciem alguma atividade esportiva coletiva, como o futsal, o handebol, o vôlei ou o basquete, entre outras. Afinal, os esportes coletivos têm a função de unir os atletas em prol de um bem maior: o bom desempenho da equipe.

Nesse momento, a figura do educador físico é de extrema importância para que as crianças que apresentam uma maior dificuldade de relacionamento sejam acolhidas pelo grupo. É dever do treinador organizar a equipe de forma que todos socializem e participem das atividades.

Já os pais devem ficar atentos ao comportamento dos seus filhos. É importante nunca forçá-los a jogar um esporte que eles não queiram. A criança deve participar de atividades esportivas por livre e espontânea vontade. A dica é experimentar! Permita que eles provem diferentes modalidades até que se encaixem naquela que desperta maior interesse ou que se sintam mais à vontade.

Desenvolvimento emocional

Incluir o esporte na rotina das crianças pode ajudá-las a lidar melhor com as emoções. O controle dos sentimentos desempenha um papel muito importante no rendimento esportivo e esse aprendizado pode ser repassado para outras situações da vida, contribuindo como um todo no desenvolvimento emocional do ser humano.

Crianças que praticam esportes aprendem a lidar desde cedo com as próprias emoções, afinal, uma partida esportiva pode ser vivenciada a partir de um grande mix de sentimentos, como o sucesso, a superação, a vitória, a raiva, a frustração, a tristeza, entre outros. Todos eles podem estar presentes em momentos próximos, dentro de um mesmo jogo. 

Além de ter que controlar e vivenciar todos os seus conflitos e prazeres internos, os pequenos que participam de modalidades coletivas também devem lidar com os sentimentos dos colegas e dos adversários. Essa experiência é enriquecedora e pode ensiná-la a ser gentil com o rival quando ganhar e a saber que, em uma próxima oportunidade, poderá vencer caso perca.

Principais esportes para crianças

Muitas vezes, na hora de escolher um esporte para os filhos, os pais ficam em dúvida da melhor opção. Devemos salientar, antes de tudo, que qualquer esporte é positivo no desenvolvimento infantil e há cada vez mais opções sendo oferecidas para a prática das diversas modalidades esportivas, entretanto, algumas modalidades são mais conhecidas das crianças, o que pode atrair um interesse maior por parte delas.

Essas modalidades correspondem aos quatro esportes coletivos ensinados na maioria das escolas: futebol ou futsal, vôlei, handebol e basquetebol. As opções individuais, como natação, judô e tênis, também são interessantes e podem oferecer vantagens diferenciadas. Combinar dois ou mais esportes, sem que haja carga excessiva é uma ótima ideia. 

Se você quer conhecer um pouco mais sobre os principais esportes para crianças acompanhe a seguir as informações que separamos. 

Natação

Normalmente, os pequenos iniciam sua vida esportiva na natação. Isso porque o ambiente aquático permite que o esporte possa ser praticado de forma lúdica pelos bebês com meses de vida. Os pais também buscam ter uma maior segurança, fazendo com que seus filhos saibam nadar e evitando que acidentes possam acontecer.

Além disso, a atividade é muito indicada por médicos para crianças que apresentam problemas respiratórios, como a bronquite ou a asma. O asmático apresenta excesso de ar nos pulmões, o que acarreta em dificuldade de expirar. Ao nadar, há uma melhora o fluxo de ar, amenizando o problema.

A constante expansão do diafragma e a necessidade de respirar pela boca também ajudam a melhorar a respiração e a fortalecer os órgãos e músculos envolvidos no processo.

Outros pontos positivos são o fortalecimento do sistema cardiovascular, que melhora a circulação sanguínea, e o desenvolvimento da musculatura corporal por completo, já que a natação trabalha todos os músculos do corpo. 

É importante ter cuidado e atenção para que os menores de 10 anos não tenham uma carga de treino alta no esporte, provocando o efeito contrário e prejudicando grandes articulações, como a do ombro. Até essa idade, a atividade em meio aquático deve ser realizada sem cobranças de performance ou tempo.

Judô

O judô é uma das práticas esportivas favoritas das crianças. A sua filosofia é cultivar a não-violência, o respeito e a disciplina. Esses conceitos são fundamentais de serem ensinados e aprendidos na infância, desenvolvendo, além dos aspectos físicos e emocionais, os sociais de valor e de respeito.

O esporte é contemplado com um grande número de regras e comportamentos que as crianças devem respeitar, afinal, a disciplina é um dos pontos mais importantes na prática do judô. Além disso, cada turma tem um mestre, que é responsável por passar os ensinamentos ao qual as crianças devem respeitar, o que reforça o aprendizado de sempre dar ouvidos aos mais velhos.

Além dos benefícios comportamentais, a luta permite que os pequenos desenvolvam uma gama de gestos motores que envolvem a coordenação, a força, o equilíbrio e a velocidade.

Outro fator importante que é trabalhado no judô é a estimulação do raciocínio tático. Como o esporte é muito veloz, ele obriga seus praticantes a tomarem decisões rápidas de acordo com os movimentos realizados pelos adversários.

Por fim, mesmo sendo um esporte individual, também é possível trabalhar a coletividade, pois o treinamento é realizado sempre em equipes que representam um time. Sendo assim, quando uma criança está lutando contra outra, ela desempenha um papel individual, mas com o apoio de todo o grupo, o que garante que ela lide com sentimentos de conjunto, além de poder socializar com outras pessoas.

Tênis

O tênis é um esporte que pode ser jogado tanto individualmente como em duplas. Uma das grandes vantagens de optar por ele na infância é o desenvolvimento mental que a modalidade oferece. Os tenistas precisam ter um grande controle emocional e serem muito estrategistas. 

Além disso, há um intenso trabalho de habilidades motoras complexas, como o controle motor fino, que é utilizado em algumas jogadas de voleios e curtinhas. 

A coordenação, a agilidade, a flexibilidade e o tempo de reação são características muito trabalhadas no tênis. Assim como em outras modalidades, o esporte também pode ser adaptado para as crianças, com o mini tênis. Nesse modelo são utilizadas bolas com peso diferenciado, além de uma rede e um espaço físico menor.

Vôlei

Diferentemente de todos os outros esportes coletivos, em que uma criança pode conduzir a bola sozinha e decidir uma jogada, o vôlei precisa da participação de três atletas em cada lance. O primeiro recepciona a bola, o segundo faz o levantamento para que um terceiro possa atacar.

A modalidade é uma das mais complexas dentre as jogadas em equipe, já que seus gestos não se assemelham aos outros esportes. Um ponto positivo do vôlei é que as crianças que o praticam utilizam muitos gestos que se relacionam a habilidades fundamentais, como saltar, agachar, receber, rebater, lançar, deslocar etc.

Devido à complexidade das tarefas e a exigência de força e técnica para conseguir colocar a bola do outro lado da rede, o vôlei costuma ser ensinado de forma lúdica e adaptada.

Muitas vezes o mini vôlei é utilizado para introduzir o esporte. Nele, as regras e os fundamentos são flexíveis. A distância do saque, a largura da quadra, a forma de contato com a bola, entre outros, podem ser modificados, o que permite que a criança se desenvolva enquanto joga, aprimorando suas ações e adquirindo confiança. 

Basquete

A prática do basquete tem crescido no Brasil nos últimos anos. O esporte é um dos únicos jogados em equipe que a criança também pode treinar sozinha. Basta uma cesta e uma bola para a diversão começar. Quem tem espaço em casa, inclusive, pode adquirir os equipamentos para que os pequenos se divirtam nos momentos de lazer, praticando uma atividade física. 

Assim como todas as outras modalidades coletivas, ele desenvolve a sociabilidade, o trabalho em equipe, o compromisso com os colegas e o respeito ao adversário. 

O aprimoramento de habilidades manuais para controle de bola, arremesso e passe são garantidas às crianças que jogam o basquete. Além disso, elas também desenvolvem a rápida troca de direção, o que proporciona uma maior agilidade. 

Futsal

O futsal é o esporte mais famoso entre as crianças no Brasil. Derivado do futebol, a modalidade atrai um grande número de praticantes devido à sua maior praticidade, já que precisa de um número menor de atletas e um espaço menor que um campo, que normalmente é encontrado nas escolas. 

O fato de o futsal estar entre os esportes favoritos dos meninos e meninas contribui para que eles se mantenham mais tempo na equipe. Além disso, o grande número de jogadores permite que haja uma boa quantidade de torneios infantis, fazendo com que os pequenos vivenciem a disputa saudável, aprendam a competir, desenvolvam o controle emocional e aprimorem cada vez mais as habilidades. 

Devido ao deslocamento constante em quadra, o futsal traz como uma de suas vantagens a melhora no condicionamento físico. Por ser popular e jogado em todos os lugares, é uma ótima opção de atividade física para aquelas crianças que estão acima do peso.

A familiaridade com a bola de futsal pode fazer com que os menos habilidosos, e menos ágeis se sintam mais confiantes ao iniciar uma modalidade esportiva. 

Handebol

O handebol é uma opção perfeita para trabalhar a performance motora das crianças. O esporte coletivo é desafiador e apresenta gestos e técnicas que se assemelham e ajudam o rendimento em outras modalidades.

Esse é o caso do quique da bola, que pode ser positivo para o basquete, no posicionamento e deslocamento em quadra, e que pode auxiliar na hora de jogar futsal. Além disso, ele traz consigo todos os outros benefícios que os esportes coletivos trazem às crianças. 

Muitas vezes, para adaptar as crianças a essa prática que não é tão comum, algumas estratégias são utilizadas pelos professores de educação física. Uma delas é iniciar os pequenos no esporte por meio do mini handebol, que adapta o tamanho da bola, da quadra e simplifica as regras. Essas mudanças podem atrair uma maior atenção e participação das crianças, já que o jogo se torna mais simples. 

Benefícios do esporte no desenvolvimento motor infantil

O esporte é uma excelente forma de estimular as crianças e permitir que elas vivenciem, aprendam e aperfeiçoem muitas habilidades motoras. É importante que os profissionais de educação física, assim como os pais, conheçam as fases do desenvolvimento motor e os benefícios que as atividades esportivas podem trazer aos seus filhos ou alunos.

Veja a seguir as informações que trouxemos sobre este assunto!

Fases do desenvolvimento motor infantil

Em cada idade a criança deve ser capaz de realizar alguma habilidade. Por isso, o desenvolvimento motor infantil é classificado conforme a faixa etária. Confira a seguir qual estágio está associado a cada ano de vida:

  • 0 a 1 ano — fase motora reflexiva: o bebê age por reflexos até absorver as informações necessárias para que eles sejam inibidos;
  • 1 a 2 anos — fase motora rudimentar: com o desenvolvimento do córtex, os reflexos agora são substituídos por movimentos voluntários;
  • 2 a 3 anos — fase motora fundamental inicial: aqui ocorrem as primeiras tentativas de reproduzir uma habilidade motora fundamental (exemplo: andar, correr, saltar, arremessar, rebater, receber, volear, quicar, chutar, trepar, rolar);
  • 4 a 5 anos — fase motora fundamental elementar: há um maior controle e coordenação dos gestos realizados nas habilidades motoras fundamentais;
  • 6 a 7 anos — fase motora fundamental madura: a criança já deve ser capaz de reproduzir movimentos controlados e coordenados nas habilidades motoras fundamentais;
  • 7 a 14 anos — fase motora especializada: as habilidades motoras fundamentais (HMFs) aprendidas na fase madura começam a ser gradualmente combinadas para que sejam aplicadas e utilizadas em atividades esportivas mais complexas, bem como no lazer e no cotidiano;
  • 14 anos ou mais — fase de aplicação dos conhecimentos adquiridos: a partir dos 14 anos o adolescente alcança o topo do desenvolvimento motor e passa a reproduzir todas as habilidades aprendidas em atividades que ele deseja se especializar; 

Habilidades motoras fundamentais 

Durante a infância, as HMFs devem ser apresentadas e desenvolvidas pelas crianças. Contudo, para que esse desenvolvimento motor ocorra, as crianças necessitam de profissionais de educação física e esporte planejando as atividades e oferecendo oportunidade, instrução e encorajamento. Essas atividades podem ser divididas em três categorias principais: 

  1. atividades que envolvam a manipulação de objetos, como receber, passar, arremessar, chutar, rebater, quicar etc.;
  2. atividades que exijam uma estabilização corporal, como rolar, se equilibrar, virar estrela etc.;
  3. atividades locomotoras, como saltar ou correr. 

A partir dessas diretrizes as crianças desenvolvem o seu repertório de gestos motores, os quais serão levados para a vida inteira, incluindo para a fase adulta e para a terceira idade. Isso é importante, pois diversas atividades cotidianas exigem que as HMFs sejam aplicadas. 

Principais benefícios

As crianças desenvolvem ações motoras desde bebês até a fase da velhice. Porém, o período mais sensível, considerado ótimo para a aquisição das HMFs é a infância (entre 2 e 12 anos). Quanto mais oportunidades elas tiverem para treinar e repetir os gestos, melhores elas serão nessas tarefas e, por esse motivo praticar esportes na infância é um grande benefício para o desenvolvimento motor do indivíduo. 

Quando uma criança joga algum esporte ela está treinando e aperfeiçoando muitas ações motoras que ajudarão a ajustar a sua postura, melhorar a coordenação, a agilidade, a flexibilidade, o condicionamento e a saúde.

Durante uma partida de futebol, por exemplo, a criança é exigida a todo o momento. Além disso, o esporte é uma forma mais descontraída e saudável dos pequenos se desenvolverem. Normalmente, quando estão jogando, eles estão se divertindo. 

O ideal é que as crianças não dediquem toda a infância a somente uma modalidade, mesmo que ela deseje ser um atleta em determinado esporte. Isso porque, quanto mais variações de jogos ela experimentar, maior será a quantidade de informações armazenadas a respeito de gestos e performances. A consequência disso são vantagens futuras em uma carreira esportiva ou benefícios que poderão ser desfrutados no cotidiano da vida adulta. 

Como vimos, os benefícios dos esportes para crianças são muitos. Por meio dele é possível que haja um desenvolvimento integral, englobando fatores cognitivos, físicos, sociais e afetivos que contribuem para que a criança possa crescer feliz e com qualidade de vida. 

Apesar das grandes vantagens, é preciso estar atento para que não haja uma sobrecarga, prejudicando o desenvolvimento. Sendo assim, devemos sempre lembrar como são positivos os esportes para crianças, mas sem se esquecer de que isso deve ser sinônimo de brincadeira e diversão.

Agora que você já sabe tudo a respeito da importância dos esportes para crianças, compartilhe este post em suas redes sociais e faça com que seus amigos também aprendam sobre o assunto!

 

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This