Ética no esporte: como trabalhar esse conceito com os atletas
Aprendizado

Ética no esporte: como trabalhar esse conceito com os atletas

Escrito por Unisport Brasil

Podendo ser definida como aquilo que determina a forma mais adequada de se agir em sociedade, a ética costuma variar com a cultura e as crenças de determinados grupos de pessoas, porque envolve valores e princípios de cada um dos indivíduos. A ética no esporte, no entanto, abrange alguns conceitos gerais e universais que, seguidos por todos os participantes, serão como um guia de atitudes ideais dentro e fora do jogo.

Desde a Grécia antiga, os filósofos já viam na prática desportiva algo muito além de apenas obter saúde e bem-estar, sendo ele um caminho para a ética. Esses ensinamentos continuam influenciando o mundo até os dias de hoje, confirmando que o ser humano já nasce com condutas errôneas, devendo esse caráter, então, ser trabalhado e corrigido, o que acontece por meio dos treinamentos esportivos.

Por si só, o esporte já é uma forma prática e potencializadora de aprendizados para uma boa conduta, sendo fundamental, portanto, na formação de uma pessoa, principalmente, enquanto ela ainda é mais jovem.

Para que todos esses benefícios sejam obtidos, a ética deve ser seguida à risca no esporte. Nesse contexto, o treinador tem um papel de destaque e deve entrar em ação, desenvolvendo esse comportamento em seus atletas. Quer saber algumas formas e dicas de como incentivá-los? Continue a leitura e confira!

Trabalhe com o conceito de Fair Play

A expressão Fair Play significa modo leal de agir. Assim, esse conceito está completamente envolvido com a ética, porque os atletas que o seguem procuram sempre praticar seu esporte sem prejudicar o adversário de maneira proposital. Com isso, muitas situações desagradáveis e que nem sequer combinam com o ambiente esportivo podem ser evitadas, como a violência, xingamentos, agressões e até ferimentos nos atletas.

É claro, isso não significa que o espírito competitivo deve ser deixado de lado, e sim que os concorrentes diretos serão tratados com respeito e que a competição será exercida seguindo o comportamento ético esperado por todos.

Para tanto, desde o treinamento, o atleta deve ser incentivado a agir conforme a ética no esporte e o Fair Play. Como treinador, vale a pena investir em palestras e observar como o seu atleta se comporta frente aos outros competidores.

Você precisará conversar com ele se algo não estiver de acordo com o esperado e estimulá-lo a aderir a essa vertente, pedindo desculpas por qualquer ocorrido e realmente se arrependendo do que fez de errado com o adversário, o que não deve voltar a se repetir.

Eduque contra atitudes antiéticas

Na hora do jogo, além dos adversários, um atleta encontra muitos outros desafios a serem superados para se atingir a tão sonhada vitória. Entre eles, o principal é a luta travada consigo mesmo para não agir de forma a vencer acima de tudo e a qualquer custo, só pensando em si e utilizando atalhos e trapaças para isso.

Exemplos dessas situações são quando um atleta se aproveita de algum erro de arbitragem, simula uma falta para induzir a essa falha ou tira vantagem de qualquer outra regra quebrada no esporte praticado. O ideal seria que, nessas situações, nenhum atleta aceitasse qualquer benefício adquirido de forma injusta, mesmo que isso pudesse trazer vantagens ao concorrente ou afetá-lo de maneira negativa em uma partida.

No futebol, se um jogador fingir uma queda na área por interferência de um adversário e o juiz marcar um pênalti, porque não percebeu a simulação, o time dele será beneficiado, sendo que esse gol pode fazer toda a diferença para a sua vitória.

Entretanto, se agir com ética, esse atleta não simulará em momento algum. E mais: se um pênalti fosse marcado por engano, ele comunicaria a falha da arbitragem e se recusaria a fazer o gol, porque prefere uma derrota digna do que uma vitória conquistada de modo desleal.

Dessa forma, colocar a conduta em primeiro lugar e ter em mente que a vitória não é tudo são ensinamentos fundamentais a serem repassados a um atleta. E se, mesmo assim, ele continuar agindo de maneira antiética, a penalização é inevitável. Assim, o treinador pode aplicar medidas corretivas, como suspensões de treinos e até cancelar a participação desse atleta em alguma competição.

Sobre a torcida, que, muitas vezes, questiona as atitudes éticas que podem prejudicar uma vitória, essa também deve ser educada para que não afete o atleta de forma que ele opte por tomar uma atitude incorreta, na contramão do comportamento ideal.

Portanto, campanhas educativas são muito importantes para estender esse conceito a todos os níveis que compõem um jogo ou partida, e para que a cultura da corrupção seja finalmente vencida.

Estimule o trabalho colaborativo

O espírito de cooperação é uma forma muito adequada para promover o crescimento ético e formativo dos indivíduos, sejam eles participantes de um time, sejam apenas praticantes da modalidade, competindo sozinhos. Entre exemplos de ações colaborativas, estão:

  • quando um jogador opta por passar a bola para o seu colega, para que ele faça o ponto mais facilmente, mesmo que esteja repassando também grande parte do destaque;
  • quando um atleta escolhe ajudar um adversário que caiu no meio de uma corrida e que não consegue se levantar, sem se importar que isso o fará perder algumas colocações.

Essas situações são tão dignas de admiração quanto uma vitória, sendo que você, como treinador, deve aclamar essas atitudes do seu atleta.

Além disso, esses bons exemplos estimulam os outros participantes, árbitros e espectadores a terem empatia com o próximo, mostrando que chegar sempre na frente e tirar vantagem dos outros não é o essencial, nem no campo, quadra ou piscina, nem na vida.

Portanto, seguir a ética no esporte como um compromisso e agir conforme as regras morais consigo mesmo, com todos os colegas de equipe, adversários e a torcida torna o atleta um ótimo modelo a ser seguido por toda a sociedade. Aplicando esses conceitos no seu treinamento, inclusive, se especializando para ter esse diferencial, os benefícios agregados tanto no ramo esportivo quanto em todos os outros segmentos da vida do seu atleta serão imensos.

Gostou do nosso artigo? Então, compartilhe-o nas redes sociais para que mais pessoas tenham uma boa leitura sobre ética no esporte!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This