Formação dos atletas: como lidar com os pais?
Aprendizado

Formação dos atletas: como lidar com os pais?

Escrito por Unisport Brasil

Engana-se quem pensa que a formação dos atletas só tem influência do preparador físico e que o desenvolvimento deles se deve apenas ao treino que exercem. Muito pelo contrário: todo esportista, principalmente o mais jovem, é diretamente impactado pelo que acontece ao redor e, é claro, pelo envolvimento da família.

Isso significa que ambos os lados, família e treinador, desempenham papéis indispensáveis nessa jornada. Para que o atleta se desenvolva com todo seu potencial, é preciso ter boas relações com os dois meios, criando condutas e limites adequados, independentemente do esporte praticado.

Ficou interessado em entender mais a fundo? Continue acompanhando a leitura para conferir como essa influência funciona e o que o treinador é capaz de fazer para torná-la benéfica!

A importância da influência dos pais na formação dos atletas

A falta de apoio e incentivo por parte dos pais ou mesmo uma relação conturbada costuma ser um grande empecilho nos resultados que um jovem atleta alcança no futebol, futsal, basquete ou outros esportes.

É comum que isso aconteça, pois muitos dos pais se empolgam e desejam que os filhos se tornem profissionais, depositando demasiada pressão em cima deles. Na maioria das vezes, ninguém percebe o problema em potencial.

O contrário também se nota: pais acolhedores e que exercem uma boa influência desde cedo podem desencadear o desenvolvimento acelerado dos filhos. Assim, representam uma interferência altamente positiva no dia a dia em relação à prática de esportes.

Por isso, para treinador e aprendiz alcancem juntos um desempenho satisfatório, é indispensável estabelecer uma relação de apoio com os pais. Afinal de contas eles são um pilar essencial, que deve contribuir incentivando boas práticas dentro de casa como complemento aos treinos.

Os problemas que podem decorrer da pressão

Vários pais não permitem que seus filhos se manifestem e impõem seus próprios desejos, transformando, às vezes, um sonho em um verdadeiro pesadelo. Qualquer extremo nesse caso é altamente prejudicial para a criança ou adolescente.

Tanto pais desinteressados quanto fanáticos tendem a causar dificuldades no convívio diário do atleta. Isso faz com que o jovem enfrente problemas que não são dele, mas sim de seus responsáveis.

Naturalmente, boa parte das crianças e adolescentes sente a pressão, o desinteresse e a frustração enraizada no comportamento dos pais. Nesse contexto, passam-se sentimentos negativos que influenciam diretamente no comportamento cotidiano dos atletas.

O resultado disso é um jovem que não consegue se concentrar nas atividades, perde o ânimo de praticar esportes e não se sente seguro ou capaz de desenvolver suas funções como esportista. Esse combo prejudica não somente a diversão e o rendimento, como também impacta na personalidade e na vida pessoal.

O papel do treinador para mediar a relação dos pais com os esportistas

Existe certo receio por parte do educador físico quanto à influência do atleta no estabelecimento de autoridade com os pais. Porém, trata-se de um ponto importante e que pode ser bem-sucedido com observação e cautela na conduta.

É indispensável auxiliar os pais a entenderem que é preciso deixar as coisas acontecerem de modo natural, sem forçar ou impor influências. O jovem precisa ser conduzido com os pés no chão, para que não venha a sofrer com coisas que não estão ao seu alcance ou com os desejos de seus tutores.

Por isso, o treinador deve ter conhecimentos básicos de psicologia esportiva para mediar a relação dos pais com atletas de maneira compreensiva. Dessa forma, ele orienta ambos os lados na medida do possível, a fim de que a vida esportiva seja levada de maneira serena. Entenda mais a seguir vendo hábitos interessantes.

Criar um canal de comunicação com os pais

Para criar e fortalecer um canal de comunicação com os pais, é necessário promover a proximidade no momento de levar o filho ao treino, assistir a competições, entre outras ocasiões oportunas.

Além disso, é indispensável convocá-los regularmente para conversar sobre o desenvolvimento do atleta e outras questões importantes no momento.

Essa é a hora de mostrar credibilidade em relação ao meio esportivo, dar a entender que você tem experiência nisso e que é um profissional qualificado para conduzir a formação física e mental do atleta. Só assim se torna possível orientar pais e mães a apoiarem os filhos mesmo em situações envolvendo erros e dificuldades.

Estabelecer limites durante o treinamento e as competições

A partir do canal de comunicação com os pais, o treinador deve orientá-los a respeito de limites durante treinamentos e competições. Ou seja, é fundamental que eles torçam pelo filho moderadamente, demonstrem interesse e ajudem no desenvolvimento e em cuidados básicos.

Contudo, o estabelecimento do limite serve para evitar agressividade, humilhações e cobranças excessivas. Esses comportamentos sobrecarregam o jovem em um momento no qual a apreensão é costumeira.

Pais que torcem agressivamente, se preocupam demais ou falam com o filho o tempo todo durante treinos e competições, por exemplo, tendem a desencadear efeitos como falta de concentração e uma cobrança exagerada do próprio jovem consigo mesmo, podendo causar uma ansiedade desnecessária nesse momento.

Observar o motivo dos atletas praticarem o esporte

Entender os motivos pelos quais os atletas praticam esportes é bastante importante para saber como conduzir o treinamento. Além do mais isso, isso influencia na orientação e na conversa com os pais.

Fale de forma sutil com o atleta e também com seus responsáveis. É claro que, para isso, é vital ter uma relação de confiança e respeito com todos os envolvidos. Dessa maneira o jovem pode se abrir com você e, diante disso, será mais simples saber como conduzir, dar feedbacks positivos e compreender até que ponto incentivar.

E não se esqueça: cabe ao treinador mostrar aos pais o que é melhor para seus filhos quando a questão é treinamento nos esportes. Deve-se estabelecer autoridade e respeito com os tutores a fim de que façam a sua parte do jeito mais adequado.

Assim, todos aumentam as possibilidades de atingir os objetivos pretendidos, sempre zelando por boas influências na formação dos atletas.

E aí, gostou do nosso texto de hoje? Continue conosco e não deixe de conferir 8 dicas para desenvolver uma boa imagem pessoal e profissional!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This