Saiba como a frequência respiratória impacta no rendimento dos alunos
Aprendizado

Saiba como a frequência respiratória impacta no rendimento dos alunos

Escrito por Unisport Brasil

Manter a frequência respiratória é uma prática tão importante quanto a flexibilidade, força e resistência muscular. De fato, um jogador flexível e com um bom condicionamento está muito mais preparado para a atividade física e tem menos chances de sofrer lesões.

Nesse sentido, a intensidade do exercício se liga de forma direta com a capacidade respiratória. Isso significa que, quanto mais intenso for o treino, maior será a necessidade de oxigênio que o corpo vai precisar para executar adequadamente determinada função.

Por outro lado, um atleta pouco condicionado vai ficar ofegante mais rapidamente, mesmo com pouco tempo de atividade física. É ai que entra a importância de inserir exercícios específicos que envolvam a respiração abdominal e de maior profundidade, por exemplo.

Quer saber como melhorar o seu condicionamento físico e ter um melhor desempenho durante os exercícios? Então, entenda como a frequência respiratória adequada ajuda no rendimento dos alunos!

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Qual é a importância da respiração?

O movimento da respiração (inspiração e expiração) é cíclico e ritmado. Trata-se de uma verdadeira ação involuntária do corpo de modo a manter as funções orgânicas em funcionamento. Nesse sentido, ela se torna a protagonista ao longo de todo o exercício físico, e, para isso, é necessário respirar da forma correta.

Afinal de contas, a respiração adequada é responsável por manter e melhorar o rendimento físico dos jogadores, especialmente em corridas e exercícios de alta intensidade — uma vez que essas movimentações vigorosas exigem mais circulação de sangue e oxigênio pelo corpo, como modo de oxigenar as células e eliminar o gás carbônico, resultante da síntese celular.

Por outro lado, uma respiração errada causa o mau desempenho do atleta e aumenta a fadiga, fazendo com que ele se canse rapidamente e não consiga terminar a atividade no tempo pretendido. Além disso, ela é responsável por ocasionar aquela dor incômoda na lateral do corpo, causada pela ausência de oxigênio na região do diafragma.

A respiração humana é considerada autosselecionada. Isso significa que em um ritmo normal, ela flui naturalmente, sem grandes obstáculos. No entanto, dependendo da carga e da intensidade do exercício, a passagem de ar pelo nariz deixa de ser suficiente para suportar a quantidade de oxigênio que entra pelas vias respiratórias, que é exigida para o corpo se manter em funcionamento.

Aí entra a necessidade de respirar pela boca como uma maneira de capturar mais oxigênio para o próprio corpo. Afinal, nesse caso a respiração pelo nariz não é suficiente para suportar as necessidades do corpo. Por isso, não é recomendado reduzir nem bloquear os canais de respiração durante o exercício, nem que seja por alguns segundos. Esse ato traz consequências negativas, pois causa o aumento da pressão arterial e intracraniana — podendo ocasionar desmaios e até mesmo um AVC.

A respiração tem outro papel essencial para o atleta. É durante a prática da atividade física que o gás carbônico é produzido em maior quantidade pelos músculos. Desse modo, a respiração se torna a responsável por remover o excesso desse gás e trazer uma maior hiperventilação para o organismo.

A hiperventilação é uma condição que surge nos casos em que a capacidade respiratória não coincide com o alto nível da atividade praticada. Para isso, é necessário reduzir a velocidade e intensidade e ir mais devagar, respeitando os limites do corpo.

Como aumentar a capacidade respiratória do atleta?

Na realidade, não há um padrão de respiração exato. O que existem são recomendações que auxiliam os atletas a respirarem de uma maneira que potencializa a execução dos exercícios e melhora o condicionamento físico e o desempenho.

Você vai conhecer, a seguir, algumas estratégias que podem ser adotadas para melhorar a capacidade respiratória do atleta.

Faça a respiração de forma abdominal

A respiração abdominal ou diafragmática é um método comprovado que auxilia na captação do ar e melhora a distribuição de oxigênio para todas as partes do corpo. Essa técnica utiliza uma maior profundidade durante o treinamento e a partida em si, mas com menos intensidade.

Ela consiste na contração do diafragma quando é feito o movimento de inspiração do ar. Para isso, é necessário inflar primeiramente a região abdominal — e não a torácica. Desse modo, o diafragma força a área abdominal para baixo, expandindo, assim, a capacidade do tórax.

Esse fenômeno se dá por meio da entrada do ar nos pulmões, e o posterior relaxamento e saída desse ar — ou seja, o movimento de soltar o ar em um ritmo mais lento do que a inspiração, em um ponto em que o abdome volte ao seu formato original, de maneira a remover o gás carbônico do corpo.

Mantenha a respiração contínua ao praticar exercícios de alta intensidade

O ideal é deixar que o ciclo respiratório permaneça constante e ritmado. Afinal, respirar muito rápido vai acarretar a perda do fôlego, o que não faz bem, do mesmo modo que um ritmo de respiração lento tem o potencial de reduzir o volume de oxigênio que circula pelo organismo.

Portanto, o recomendado é conservar uma frequência respiratória equilibrada, com movimentos constantes e cíclicos de inspiração e expiração. Uma dica é estabelecer um ritmo determinado, como contar até três segundos a cada inspiração e esperar dois segundos para expelir esse ar, por exemplo. Ao adotar tal prática, você vai se acostumando com o ritmo e poderá manter a mesma intensidade durante todo o exercício.

Também é importante mencionar que a mente exerce influência direta sobre o rendimento do atleta. Por isso, o ideal é manter o foco e ter disciplina durante a execução do movimento.

Respire pela boca se achar necessário

O ideal é respirar pelo nariz, uma vez que as narinas filtram o ar e retêm as partículas de poeira, fazendo com que o ar chegue mais limpo nos pulmões. Porém, durante uma atividade de alta intensidade, nem sempre o atleta consegue ficar de boca fechada o tempo todo.

Contudo, não há problemas, afinal o corpo acaba exigindo o uso da boca para a respiração nesses casos. Trata-se de um processo natural do organismo que permite que ele consiga absorver mais oxigênio de uma só vez e em grande quantidade, sem que isso implique mais gasto de energia.

Como você pôde perceber, a frequência respiratória pode ser potencializada por meio de alguns métodos que envolvem inspirar e expirar de maneira otimizada. Essas estratégias são muito úteis durante a preparação física para ajudar o atleta a aumentar o fôlego e apresentar uma melhor performance durante a atividade.

Quer interagir com a gente? Que tal conhecer melhor a nossa empresa? Então, siga a Unisports nas redes sociais e confira as nossas publicações em primeira mão diretamente na sua linha do tempo!

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This