Treino regenerativo: saiba qual a importância e benefícios
Aprendizado

Treino regenerativo: saiba qual a importância e benefícios

Escrito por Unisport Brasil

As atividades esportivas acabam ocasionando um cansaço físico entre seus praticantes. A intensidade do exercício, sua duração e o condicionamento do atleta são os principais fatores responsáveis por aquela sensação de desgaste que é tão comum após o esforço.

Essa situação desconfortável pode ser facilmente amenizada por meio da introdução de programas de treino regenerativo na rotina do indivíduo. Trata-se de movimentos menos intensos e volumosos, que são inseridos no cotidiano do praticante de atividade física com o objetivo de recuperar os tecidos do organismo.

Quer saber como diminuir a sensação de dor e otimizar o processo de reabilitação dos alunos? Neste conteúdo, vamos dar uma visão geral sobre o treino regenerativo, além de abordar a importância e os benefícios que o método traz para o organismo. Continue a leitura!

O que é o treino regenerativo?

O treino regenerativo consiste em um conjunto de técnicas aplicadas com o intuito de potencializar a recuperação dos tecidos musculares e das demais estruturas que foram sobrecarregadas durante a prática do esporte. A boa notícia é que qualquer praticante pode incluir o treino na sua rotina.

Contudo, é preciso que a técnica seja monitorada por um educador físico que reúna todo o conhecimento necessário. Afinal, ninguém melhor do que um especialista no ramo para orientar o atleta e evitar o surgimento de maiores lesões.

Nesse sentido, o ideal é que o treinador elabore uma planilha e já faça o encaixe do treino regenerativo na rotina semanal dos alunos, de forma alternada com outras atividades e os demais tipos de treinamento. A frequência vai depender de como o corpo do atleta reage e da quantidade de tempo necessária para a sua devida recuperação.

Como funciona?

O método é considerado uma espécie de repouso ativo, ou seja, se trata da prática de uma atividade leve, lenta e de baixa intensidade — caminhada ou corrida suave, por exemplo. Assim, a frequência cardíaca é reduzida, ao passo que o corpo tende a relaxar.

Dessa forma, o organismo se restabelece em um tempo menor e consegue eliminar as substâncias tóxicas com mais facilidade. Como resultado, há a redução das dores musculares, mais disposição e um maior desempenho dos atletas.

Tal modalidade de treinamento é recomendada para o dia seguinte àqueles nos quais os atletas passaram por um grande esforço físico — depois de muito empenho para executar determinada atividade, chega a hora de introduzir movimentos mais lentos e ordenados.

Quais benefícios o treino regenerativo traz para a saúde?

Agora que você já entendeu como é o treino regenerativo, confira os principais benefícios de inserir a prática de recuperação no plano de treinamento dos alunos:

  • acelera o processo de recuperação dos tecidos musculares;
  • limpa o excesso de ácido lático localizado nas fibras dos músculos;
  • elimina as demais toxinas que ficaram acumuladas entre as células;
  • reduz o risco de surgirem lesões e distensões musculares;
  • relaxa as fibras;
  • melhora a resistência muscular;
  • diminui estresse, ansiedade e depressão;
  • reduz a frequência cardíaca;
  • melhora a capacidade cardiorrespiratória do atleta;
  • transporta o oxigênio para todas as partes do corpo com mais eficiência;
  • otimiza a circulação do sangue;
  • deixa o corpo relaxado;
  • proporciona uma sensação de bem-estar e conforto;
  • aumenta as chances de melhorar a performance na próxima atividade.

Como incluí-lo na rotina dos alunos e futuros atletas?

Uma dúvida muito comum é: quando fazer o treino regenerativo? Afinal, recomenda-se qual regularidade e tempo de duração? De fato, tal prática é mais indicada logo após a atividade ou o exercício de alta intensidade (e até mesmo um dia depois). Não há uma regra nesse sentido.

O repouso ativo pode ser combinado com as atividades de alta intensidade, formando uma espécie de alternância entre explosão de movimentos e calmaria. Da mesma forma, há a possibilidade de introduzi-lo na rotina de exercícios do atleta entre seis a oito horas após a atividade — ou até no dia seguinte.

Por isso, é importante que o educador físico esteja bem preparado e tenha conhecimentos avançados em anatomia humana ou fisiologia do esporte.

De que forma fazer um treino recuperativo de qualidade?

De maneira geral, o treino regenerativo envolve alguns princípios básicos: baixa intensidade de movimentos, curta duração e ritmo consistente. Ele costuma ser feito em pedais, sendo que o atleta deve se concentrar na mecânica dessa ação e utilizar pouca força. A metodologia não inclui força ou movimentos pesados, mas sim manter um ritmo lento e ir aumentando aos poucos, de forma a manter a cadência alta.

Além disso, o tempo de duração costuma variar entre 30 minutos e uma hora para iniciantes no esporte, mas pode chegar a duas horas no caso de profissionais e atletas. De qualquer maneira, não custa lembrar que o indivíduo deve ser devidamente observado (e o tempo, monitorado de modo a evitar o overtraining)

Quais cuidados devem ser tomados para proporcionar um treino efetivo?

O treino regenerativo deve ser combinado a outros cuidados, como manter uma alimentação saudável e balanceada. Portanto, não se esqueça de incluir alimentos ricos em nutrientes ao cardápio — a exemplo de sais minerais e vitaminas, entre outros.

Essa prática requer sempre a supervisão de um treinador experiente e devidamente habilitado para atuar no ramo da Educação Física e do esporte. Vale lembrar que o profissional estudou para isso e sabe melhor do que ninguém sobre como proceder para minimizar o desconforto e otimizar o desempenho do indivíduo.

Portanto, deixar o atleta sozinho não é um hábito muito indicado, já que qualquer movimento errado pode trazer lesões e outros riscos. Além disso, é importante prestar atenção na periodicidade com que o treino é realizado. Geralmente, a indicação é de apenas três vezes por semana (ou menos).

O treino regenerativo é uma estratégia que ajuda na recuperação muscular e proporciona diversos outros benefícios para o corpo humano. Assim, ao seguir as dicas que mencionamos, certamente seus treinos vão se tornar mais eficientes e com uma qualidade acima da média. Como resultado, você terá atletas preparados para participar de competições esportivas e partidas de alto padrão!

O pós-treino é tão importante quanto o período que antecede o treinamento. Quer saber mais sobre como preparar seus atletas para uma competição? Então, descubra de que maneira funciona a preparação física no futebol!

Quer se tornar um especialista da área esportiva?

Assine e receba informações gratuitas sobre treinamentos e as melhores práticas esportivas!

Sobre o autor

Unisport Brasil

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This